BEM VINDO A EMYLUZ BLOGSPOT!

BEM-AVENTURADO O HOMEM QUE ACHA SABEDORIA, E O HOMEM QUE ADQUIRE CONHECIMENTO

(Provérbio 3,13).

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

OS APOLOGISTAS NA HISTÓRIA DA IGREJA

Os apologistas foram homens que procuraram defender a fé cristã diante de algumas acusações As acusações eram afirmações de que o cristianismo era composto de pessoas ignorantes, que era copiado dos grandes sábios, como Platão (ao ensinar a imortalidade da alma) e assim mesmo deturpado como no caso da “absurda” doutrina da ressurreição. Diante de tais acusações, levantaram-se os Apologistas para defender a Fé Cristã, especialmente contra o judaísmo, a filosofia pagã e as religiões pagãs.
Com o surgimento de inúmeras seitas heréticas no início história da igreja, martírios aconteceu. Surgiu a necessidade de dar continuidade ao ministério, resistindo as perseguições e opondo-se aos ensinos heréticos, bem como a urgência em espalhar o Evangelho.
Surgiram heresias perigosas como: Gnosticismo (Tipo Nova Era, conhecimento especial não revelado), Marcionismo (tentou reduzir as Escrituras), Mundanismo (novas revelações, profecias atitudes de julgamentos contra outros cristãos).
Os apologistas (defensores da fé) emergem para combater as heresias e responder aos opositores da Igreja. Alguns dos apologistas principais seriam Irineu e Justo Mártir.
As igrejas locais não eram legalizadas e não tinham foro público ou prédios onde os seus membros pudessem se reunir (os cultos se davam nas casas deles). Perseguição local podia acontecer a qualquer momento. Um testemunho público de peso começou a ser ouvido na medida em que os cristãos eram mortos, pois não negavam a sua fé a nenhum custo. Alguns exemplos: O martírio do Bispo Policarpo, que era um homem de 84 anos de idade (155 d.C.), e um grupo inteiro de cristãos que foi torturado sem misericórdia em Lion, no ano 177 d.C. Antes de Constantino, as reuniões ocorriam em subterrâneos, as famosas catacumbas que até hoje podem ser visitadas em Roma. Em 313, o imperador Constantino se converteu ao Cristianismo e concedeu liberdade de culto, o que facilitou a expansão da doutrina por todo o Império.
Os centros fortes da Igreja estavam na Ásia Menor e no Norte da África. Podemos destacar alguns Apologistas do Segundo Século, como Quadrato, Aristides, Justino, Mártir, Taciano, Atenágoras, Teófilo, Melito, Hegesipo. Foram atuantes em: Assíria, Síria, Roma, Atenas, Antioquia, Sardes, Grécia.

“Evangelizar é uma maneira de abrir o seu coração e acender as verdades inegáveis da Bíblia”.
Trabalho de Emyluz; Disciplina : Apologética Cristã; Mestrado em Divindade/Teologia Sistemática.
Fonte: Apostila do curso de Mestrado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.